• Bruno Pereira

Chamado missionário

O arquipélago do Marajó é um lugar único, diverso e, definitivamente, um excelente campo de missão, constituído por 16 municípios com pequenos centros urbanos e vasta zona rural, onde um dos grandes desafios é a dificuldade de acesso por via terrestre ou aérea.

É justamente nesse contexto de comunidades ribeirinhas, localizadas em uma complexa rede hidrográfica, que Deus nos faz o chamado missionário. Muitas vezes, por longas horas (até mesmo dias) de viagem de barco (pô-pô-pô), voadeiras, rabetas ou canoas (cascos), levar o Evangelho de Jesus Cristo tem sido desafiador para missionários vindos de todos os lugares do mundo.

Em todo caso, ao conhecer este pedacinho da Amazônia, cada missionário se apaixona ainda mais pela missão, ao ouvir as pessoas, seus sonhos e lutas, e perceber o tamanho de sua fé, sua esperança.


O pão que alimenta

Levar o pão da Palavra, do consolo, da justiça e da paz se faz sempre necessário. Todos os municípios marajoaras são conhecidos por sua extrema pobreza, conforme indica o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) nestas localidades, o que naturalmente atrai o olhar para obras sociais, campanhas beneficentes de ONGs, igrejas e tantos benfeitores que doam alimentos, cestas-básicas e itens de higiene, limpeza, roupas, etc., que acabam tornando-se parte da missão evangelizadora.

Para além da difícil realidade social, o povo marajoara, sobretudo o povo ribeirinho, lida diariamente com problemas como o alcoolismo entre seus jovens e a dificuldade de acesso à saúde e educação. Portanto, mais que falar do evangelho, o missionário precisa viver este evangelho praticando obras de misericórdia, promovendo encontros, oficinas, dando oportunidades de desenvolvimento humano a estes irmãos tão necessitados.


A arte na vida marajoara

Não é incomum, no meio de uma realidade econômica e social tão difícil, encontrar pessoas sorrindo e celebrando com gratidão o pouco que têm. Dentre as alegrias do povo marajoara está a arte, através de uma rica cultura musical, além das artes cênicas e plásticas características dessa região.

Anunciar o evangelho também acaba sendo motivo de festa, de júbilo, onde o povo acolhe com muito carinho, em suas casas e seus corações, aqueles que lhes ofertam a palavra, a atenção e a sabedoria.

A música está sempre presente no dia-a-dia do marajoara, e é por isso que nosso chamado missionário se realimenta a cada encontro, formação, visita, festividade e eucaristia nestes lugares.


Venha navegar por estes rios também!

Conheça o Marajó e encante-se pela vida.

#eubrunodiego #prelaziadomarajo #missaomarajo #paroquiadesantana #breves #para #brasil #amazonia #marajo


14 visualizações0 comentário